PROMOÇÃO Em breve teremos promoções! AGUARDEM e fiquem ligados!

Últimas notícias

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Um adolescente de 15 anos esfaqueou a própria mãe, a dona de casa Maria Lucia Pereira Moura, de 48 anos, dentro de casa na Zona Noroeste, em Santos, no litoral de São Paulo.

O crime ocorreu por volta das 12h de domingo (5) e teria acontecido após uma discussão. A vítima foi levada à Santa Casa de Santos às 17h do mesmo dia e ainda se encontra na UTI. Segundo informações da polícia, o pai do adolescente estava em casa quando o crime ocorreu. 

Quando a Polícia Militar chegou ao local, o menor não estava e o pai afirmou não saber quem havia cometido o crime. Vizinhos suspeitaram do menor e avisaram os policiais que ele estava em um ponto de ônibus próximo à residência. A PM localizou e abordou o adolescente, que confessou o crime. Amigos da família ouvidos pelo G1 contaram que o garoto aparentava ser bastante tranquilo. 



"Eles sempre frequentavam o culto. Mas faz cerca seis ou sete meses que o jovem não vinha mais com os pais. Ficava direto no computador, mas nunca pareceu se envolver com drogas", diz um dos colegas de culto que preferiu não se identificar. 

A família frequentava uma igreja que fica na Avenida Jovino de Melo, no bairro do Bom Retiro. Uma pessoa próxima à família, que também não quis se identificar, diz que ainda não consegue acreditar no crime. "Ele era muito tranquilo assim como os pais, acreditavam muito em Deus. Ninguém podia imaginar que isso fosse acontecer", afirma. Vizinhos contaram que o garoto frequentava a escola e não saia de casa. 

"A família era muito reservada, o garoto mais ainda. Era da escola para o computador, nem brincar com os amigos na rua ele queria. Mesmo assim, o crime chocou a todos", diz.

Gospel Channel - G1
BRASIL

Menino de 15 anos esfaqueia a própria mãe após discussão em Santos

Um adolescente de 15 anos esfaqueou a própria mãe, a dona de casa Maria Lucia Pereira Moura, de 48 anos, dentro de casa na Zona Noroeste, em Santos, no litoral de São Paulo.

O crime ocorreu por volta das 12h de domingo (5) e teria acontecido após uma discussão. A vítima foi levada à Santa Casa de Santos às 17h do mesmo dia e ainda se encontra na UTI. Segundo informações da polícia, o pai do adolescente estava em casa quando o crime ocorreu. 

Quando a Polícia Militar chegou ao local, o menor não estava e o pai afirmou não saber quem havia cometido o crime. Vizinhos suspeitaram do menor e avisaram os policiais que ele estava em um ponto de ônibus próximo à residência. A PM localizou e abordou o adolescente, que confessou o crime. Amigos da família ouvidos pelo G1 contaram que o garoto aparentava ser bastante tranquilo. 



"Eles sempre frequentavam o culto. Mas faz cerca seis ou sete meses que o jovem não vinha mais com os pais. Ficava direto no computador, mas nunca pareceu se envolver com drogas", diz um dos colegas de culto que preferiu não se identificar. 

A família frequentava uma igreja que fica na Avenida Jovino de Melo, no bairro do Bom Retiro. Uma pessoa próxima à família, que também não quis se identificar, diz que ainda não consegue acreditar no crime. "Ele era muito tranquilo assim como os pais, acreditavam muito em Deus. Ninguém podia imaginar que isso fosse acontecer", afirma. Vizinhos contaram que o garoto frequentava a escola e não saia de casa. 

"A família era muito reservada, o garoto mais ainda. Era da escola para o computador, nem brincar com os amigos na rua ele queria. Mesmo assim, o crime chocou a todos", diz.

Gospel Channel - G1

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Esposa do homem morto a facadas na madrugada desta quarta-feira (1º), em Campo Grande, e mãe do suspeito do crime, Auxiliadora Ferreira Marques, 42 anos, diz que ainda não consegue pensar sobre as mudanças na vida da família. "Não sei o que vai ser". Ela conta que era casada há 25 anos com a vítima, Carmelo Borton Cairo, 44 anos.



 Eles têm quatro filhos, sendo que um deles agora está preso, apontado pela polícia como responsável pela morte do pai. De acordo com Auxiliadora, o suspeito, de 25 anos, era usuário de drogas e "nunca quis ajuda". "A gente lutava contra isso, mas ele nunca quis sair dessa vida", fala a mulher.

Emocionada, a mulher disse que não consegue falar sobre a situação e ainda tenta acreditar na morte do marido e na prisão do filho. "Está difícil. Não acredito ainda no que aconteceu". Cairo morreu com duas facadas na frente da casa da família, localizada na Vila Planalto. Ele tentava dar fim a uma confusão entre o filho, a companheira e um amigo. 

Ao ver a situação, Auxiliadora e o outro filho, de 21 anos, interferiram. A companheira do suspeito ficou com escoriação no peito e o irmão dele com ferimento na mão direita. Eles não aceitaram dar entrevista sobre o caso. Conforme Auxiliadora, Cairo era auxiliar de serviços gerais em uma universidade particular de Campo Grande.

A News - G1
BRASIL

Esposa chora e lamenta o assassinato do marido pelo próprio filho

Esposa do homem morto a facadas na madrugada desta quarta-feira (1º), em Campo Grande, e mãe do suspeito do crime, Auxiliadora Ferreira Marques, 42 anos, diz que ainda não consegue pensar sobre as mudanças na vida da família. "Não sei o que vai ser". Ela conta que era casada há 25 anos com a vítima, Carmelo Borton Cairo, 44 anos.



 Eles têm quatro filhos, sendo que um deles agora está preso, apontado pela polícia como responsável pela morte do pai. De acordo com Auxiliadora, o suspeito, de 25 anos, era usuário de drogas e "nunca quis ajuda". "A gente lutava contra isso, mas ele nunca quis sair dessa vida", fala a mulher.

Emocionada, a mulher disse que não consegue falar sobre a situação e ainda tenta acreditar na morte do marido e na prisão do filho. "Está difícil. Não acredito ainda no que aconteceu". Cairo morreu com duas facadas na frente da casa da família, localizada na Vila Planalto. Ele tentava dar fim a uma confusão entre o filho, a companheira e um amigo. 

Ao ver a situação, Auxiliadora e o outro filho, de 21 anos, interferiram. A companheira do suspeito ficou com escoriação no peito e o irmão dele com ferimento na mão direita. Eles não aceitaram dar entrevista sobre o caso. Conforme Auxiliadora, Cairo era auxiliar de serviços gerais em uma universidade particular de Campo Grande.

A News - G1

sábado, 28 de setembro de 2013

Pai da acusada encontrou os cadáveres dos netos e ligou imediatamente para a polícia.

 Uma ninfomaníaca alemã está sendo acusada de matar seus dois filhos recém-nascidos para que pudesse ir a um clube de swing. Ela foi presa depois que os corpos dos bebês foram encontrados por seu pai. Steffie Koppers, de 24 anos, se gabava no Facebook pelas visitas que fazia ao clube, chamado Swingerclub Kali.



“Estamos em três simpáticas senhoras, mas queremos homens e não tem nenhum aqui”, dizia na rede social. A polícia acredita que Koppers tenha engravidado dos filhos no próprio local. Ela morava em uma fazenda com seu pai. Um dos filhos teria sido morto em novembro do ano passado, e já teria sido reduzido a um esqueleto ao ser encontrado. 

O outro estava embrulhado em uma folha. O pai de Koppers telefonou para a polícia imediatamente após encontrar os cadáveres. Ele comentou que a filha admitiu o que aconteceu, mas não foi capaz de dizer o motivo para a ação. 

Mesmo assim, autoridades garantem que ela estava viciada em ir ao clube, e não queria que os bebês a incomodassem.
MUNDO

Mulher mata seus dois bebês recém-nascidos para ir a clube de swing

Pai da acusada encontrou os cadáveres dos netos e ligou imediatamente para a polícia.

 Uma ninfomaníaca alemã está sendo acusada de matar seus dois filhos recém-nascidos para que pudesse ir a um clube de swing. Ela foi presa depois que os corpos dos bebês foram encontrados por seu pai. Steffie Koppers, de 24 anos, se gabava no Facebook pelas visitas que fazia ao clube, chamado Swingerclub Kali.



“Estamos em três simpáticas senhoras, mas queremos homens e não tem nenhum aqui”, dizia na rede social. A polícia acredita que Koppers tenha engravidado dos filhos no próprio local. Ela morava em uma fazenda com seu pai. Um dos filhos teria sido morto em novembro do ano passado, e já teria sido reduzido a um esqueleto ao ser encontrado. 

O outro estava embrulhado em uma folha. O pai de Koppers telefonou para a polícia imediatamente após encontrar os cadáveres. Ele comentou que a filha admitiu o que aconteceu, mas não foi capaz de dizer o motivo para a ação. 

Mesmo assim, autoridades garantem que ela estava viciada em ir ao clube, e não queria que os bebês a incomodassem.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O exército da Síria permanece em estado de alerta, apesar da perspectiva de uma ação militar estar mais distante, afirmou uma fonte das forças de segurança de Damasco à France Presse. 

 "A agressão americana contra a Síria, se acontecer, é uma forma de apoio ao terrorismo. O exército está em alerta e permanecerá até que o terrorismo seja completamente erradicado", disse a fonte, que pediu anonimato. No domingo, o presidente sírio advertiu que o país pode enfrentar qualquer ofensiva, após a decisão do presidente americano Barack Obama de pedir o aval do Congresso antes de um eventual ataque que até então parecia iminente. 

No domingo, Obama iniciou uma intensa campanha de lobby para tentar convencer os congressistas reticentes a dar o apoio à intervenção militar na Síria, informou uma fonte da Casa Branca. Obama, o vice-presidente Joe Biden e o chefe de gabinete da presidência intensificaram as ligações para senadores e representantes, segundo a mesma fonte. Nesta segunda-feira, Obama receberá na Casa Branca John McCain, influente senador republicano que no domingo disse que não tinha certeza se apoiaria a resolução da Casa Branca de atacar a Síria. 



O governo da Rússia afirmou nesta segunda-feira que não está convencida em absoluto com as provas apresentadas pelos Estados Unidos e seus aliados sobre um suposto ataque químico perto de Damasco, atribuído ao Ocidente ao regime de Assad. "O que foi mostrado antes e recentemente por nossos sócios americanos, assim como pelos britânicos e franceses, não nos convence em absoluto", declarou o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov. 

O chanceler disse ainda que existem "muitas dúvidas" sobre as imagens do suposto ataque divulgadas na internet. Moscou enviou um barco militar de reconhecimento no Mar Negro para as costas da Síria, segundo a agência Interfax. O barco SSV-201 Priazovye iniciou no domingo a viagem para a região leste do Mediterrâneo, segundo uma fonte militar citada pela agência, que explicou a missão como uma "coleta de informação". Ao mesmo tempo, o governo francês pretende apresentar nesta segunda-feira aos parlamentares documentos que permitem "identificar" a responsabilidade do regime sírio no ataque ataque químico de 21 de agosto perto de Damasco, afirmou à AFP uma fonte governamental. 

A fonte citou "um conjunto de elementos de prova de diferentes tipos que permitem identificar claramente o regime como responsável pelo ataque químico". O presidente François Hollande é pressionado pela oposição, assim como por parlamentares socialistas, para pedir uma votação no Parlamento sobre uma eventual ação militar contra o regime de Assad.
síria

Obama negocia apoios, e exército da Síria mantém alerta

Samuel Rodrigues  |  at  19:00

O exército da Síria permanece em estado de alerta, apesar da perspectiva de uma ação militar estar mais distante, afirmou uma fonte das forças de segurança de Damasco à France Presse. 

 "A agressão americana contra a Síria, se acontecer, é uma forma de apoio ao terrorismo. O exército está em alerta e permanecerá até que o terrorismo seja completamente erradicado", disse a fonte, que pediu anonimato. No domingo, o presidente sírio advertiu que o país pode enfrentar qualquer ofensiva, após a decisão do presidente americano Barack Obama de pedir o aval do Congresso antes de um eventual ataque que até então parecia iminente. 

No domingo, Obama iniciou uma intensa campanha de lobby para tentar convencer os congressistas reticentes a dar o apoio à intervenção militar na Síria, informou uma fonte da Casa Branca. Obama, o vice-presidente Joe Biden e o chefe de gabinete da presidência intensificaram as ligações para senadores e representantes, segundo a mesma fonte. Nesta segunda-feira, Obama receberá na Casa Branca John McCain, influente senador republicano que no domingo disse que não tinha certeza se apoiaria a resolução da Casa Branca de atacar a Síria. 



O governo da Rússia afirmou nesta segunda-feira que não está convencida em absoluto com as provas apresentadas pelos Estados Unidos e seus aliados sobre um suposto ataque químico perto de Damasco, atribuído ao Ocidente ao regime de Assad. "O que foi mostrado antes e recentemente por nossos sócios americanos, assim como pelos britânicos e franceses, não nos convence em absoluto", declarou o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov. 

O chanceler disse ainda que existem "muitas dúvidas" sobre as imagens do suposto ataque divulgadas na internet. Moscou enviou um barco militar de reconhecimento no Mar Negro para as costas da Síria, segundo a agência Interfax. O barco SSV-201 Priazovye iniciou no domingo a viagem para a região leste do Mediterrâneo, segundo uma fonte militar citada pela agência, que explicou a missão como uma "coleta de informação". Ao mesmo tempo, o governo francês pretende apresentar nesta segunda-feira aos parlamentares documentos que permitem "identificar" a responsabilidade do regime sírio no ataque ataque químico de 21 de agosto perto de Damasco, afirmou à AFP uma fonte governamental. 

A fonte citou "um conjunto de elementos de prova de diferentes tipos que permitem identificar claramente o regime como responsável pelo ataque químico". O presidente François Hollande é pressionado pela oposição, assim como por parlamentares socialistas, para pedir uma votação no Parlamento sobre uma eventual ação militar contra o regime de Assad.

sábado, 31 de agosto de 2013

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse em discurso transmitido neste sábado (31) ter convicção de que uma intervenção militar na Síria é necessária, após evidências do uso de armas químicas pelo país, mas afirmou que está buscando apoio do Congresso. 



O presidente afirmou haver conversado com líderes congressistas e acreditar que o tema deva ser debatido. "Apesar de acreditar que eu tenha autoridade para realizar [um ataque] sem a autorização do Congresso, nosso país vai ser mais forte se nós fizermos [a discussão]", disse. 

"Nós estamos preparados para atacar, em qualquer momento que escolhermos", afirmou Obama. O Congresso está atualmente em recesso e deve voltar aos trabalho no dia 9 de setembro. "Não vai ser uma intervenção por terra, não vamos colocar nossas botas no chão", completou o presidente dos EUA. Ele avaliou que a operação militar deve ser de duração limitada. A intervenção pode ser realizada "amanhã, daqui uma semana ou daqui um mês", ressaltou Obama, sem especificar quando deve ocorrer. "Não podemos e não iremos fechar os olhos para o que aconteceu em Damasco", disse. 

"Estou preparado para tomar essa ordem", afirmou o presidente americano, que enfatizou ser necessário dar uma resposta ao ataque com armas químicas realizado nos arredores de Damasco, que de acordo com o governo americano foi realizado pelas forças de Bashar al-Assad. 

Mais de 1,4 mil pessoas teriam sido mortas na ação, um terço delas crianças, em mais de uma dezena de bairros na periferia de Damasco, ainda segundo a Casa Branca. Trata-se do "pior ataque químico do século 21", afirmou Obama, atribuindo a ação ao regime de Assad. O discurso ocorreu após a Casa Branca divulgar uma avaliação de seu serviço de inteligência que afirma que o governo americano tem "muita confiança" de que o regime de Assad foi o responsável pelo ataque, ocorrido em 21 de agosto.

 A maioria dos americanos afirmaram não querer uma intervenção militar na Síria, de acordo com uma pesquisa da agência de notícias Reuters junto com a Ipsos. A pesquisa, realizada na última semana, apontou que só 20% dos entrevistados disseram acreditar que o país deveria tomar uma ação militar. Há 15 dias, uma pesquisa semelhante indicava que apenas 9% dos americanos eram a favor de uma intervenção dos EUA. 

Inspetores 

O avião com os inspetores da ONU que coletaram amostras e evidências relacionadas a um possível ataque com armas químicas na Síria chegou ao aeroporto de Rotterdam na Holanda neste sábado, disse um porta-voz do aeroporto. 

Um porta-voz da Organização para Proibição de Armas Químicas disse que os inspetores iriam retornar à sede do órgão em Haia, e que as amostras que eles levaram serão distribuídas entre diversos laboratórios para testes. Os especialistas deixaram Beirute, no Líbano, neste sábado (31) em um avião fornecido pelo governo alemão, informou o Ministério de Relações Exteriores da Alemanha. 

Irã

 O chefe dos Guardiões da Revolução Islâmica, a força de elite do regime iraniano, lançou um alerta contra uma intervenção militar americana na Síria, afirmando que uma ação como essa provocará reações além das fronteiras desse país. "O fato de os americanos acreditarem que uma intervenção militar ficará limitada ao interior das fronteiras da Síria é uma ilusão. Ela provocará reações além desse país", declarou o comandante Mohammad Ali Jafari, citado pela agência Isna. 

França 

A maioria dos franceses não querem que a França faça parte de uma ação militar na Síria e a maioria não confia no presidente francês François Hollande para fazê-lo, mostrou uma pesquisa. Uma pesquisa da BVA divulgada pelo Le Parisien-Aujourd'hui na França, mostrou que 64% dos pesquisados se opõem a uma ação militar, 58% não confiam em Hollande para conduzir a ação, e 35% temem que isso iria "colocar toda a região (do Oriente Médio) em chamas".
síria

Obama decide fazer ataque à Síria, mas quer apoio do Congresso

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse em discurso transmitido neste sábado (31) ter convicção de que uma intervenção militar na Síria é necessária, após evidências do uso de armas químicas pelo país, mas afirmou que está buscando apoio do Congresso. 



O presidente afirmou haver conversado com líderes congressistas e acreditar que o tema deva ser debatido. "Apesar de acreditar que eu tenha autoridade para realizar [um ataque] sem a autorização do Congresso, nosso país vai ser mais forte se nós fizermos [a discussão]", disse. 

"Nós estamos preparados para atacar, em qualquer momento que escolhermos", afirmou Obama. O Congresso está atualmente em recesso e deve voltar aos trabalho no dia 9 de setembro. "Não vai ser uma intervenção por terra, não vamos colocar nossas botas no chão", completou o presidente dos EUA. Ele avaliou que a operação militar deve ser de duração limitada. A intervenção pode ser realizada "amanhã, daqui uma semana ou daqui um mês", ressaltou Obama, sem especificar quando deve ocorrer. "Não podemos e não iremos fechar os olhos para o que aconteceu em Damasco", disse. 

"Estou preparado para tomar essa ordem", afirmou o presidente americano, que enfatizou ser necessário dar uma resposta ao ataque com armas químicas realizado nos arredores de Damasco, que de acordo com o governo americano foi realizado pelas forças de Bashar al-Assad. 

Mais de 1,4 mil pessoas teriam sido mortas na ação, um terço delas crianças, em mais de uma dezena de bairros na periferia de Damasco, ainda segundo a Casa Branca. Trata-se do "pior ataque químico do século 21", afirmou Obama, atribuindo a ação ao regime de Assad. O discurso ocorreu após a Casa Branca divulgar uma avaliação de seu serviço de inteligência que afirma que o governo americano tem "muita confiança" de que o regime de Assad foi o responsável pelo ataque, ocorrido em 21 de agosto.

 A maioria dos americanos afirmaram não querer uma intervenção militar na Síria, de acordo com uma pesquisa da agência de notícias Reuters junto com a Ipsos. A pesquisa, realizada na última semana, apontou que só 20% dos entrevistados disseram acreditar que o país deveria tomar uma ação militar. Há 15 dias, uma pesquisa semelhante indicava que apenas 9% dos americanos eram a favor de uma intervenção dos EUA. 

Inspetores 

O avião com os inspetores da ONU que coletaram amostras e evidências relacionadas a um possível ataque com armas químicas na Síria chegou ao aeroporto de Rotterdam na Holanda neste sábado, disse um porta-voz do aeroporto. 

Um porta-voz da Organização para Proibição de Armas Químicas disse que os inspetores iriam retornar à sede do órgão em Haia, e que as amostras que eles levaram serão distribuídas entre diversos laboratórios para testes. Os especialistas deixaram Beirute, no Líbano, neste sábado (31) em um avião fornecido pelo governo alemão, informou o Ministério de Relações Exteriores da Alemanha. 

Irã

 O chefe dos Guardiões da Revolução Islâmica, a força de elite do regime iraniano, lançou um alerta contra uma intervenção militar americana na Síria, afirmando que uma ação como essa provocará reações além das fronteiras desse país. "O fato de os americanos acreditarem que uma intervenção militar ficará limitada ao interior das fronteiras da Síria é uma ilusão. Ela provocará reações além desse país", declarou o comandante Mohammad Ali Jafari, citado pela agência Isna. 

França 

A maioria dos franceses não querem que a França faça parte de uma ação militar na Síria e a maioria não confia no presidente francês François Hollande para fazê-lo, mostrou uma pesquisa. Uma pesquisa da BVA divulgada pelo Le Parisien-Aujourd'hui na França, mostrou que 64% dos pesquisados se opõem a uma ação militar, 58% não confiam em Hollande para conduzir a ação, e 35% temem que isso iria "colocar toda a região (do Oriente Médio) em chamas".

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Um vídeo obtido pelo RJTV mostra um rapaz de 21 anos contando como ajudou sua namorada, uma menor de 17 anos, a queimar o corpo da própria mãe. O namorado conta que, de acordo com o que haviam planejado, a jovem mataria a vítima, depois a vestiria com a roupa do trabalho. Segundo o rapaz, foi a prórpia jovem quem acendeu o fósforo para queimar o corpo da mãe. O casal, segundo o depoimento, aguardou até que o corpo pegasse fogo antes de ir embora.



Imagens de câmeras de segurança também mostram o momento em que a jovem e o namorado pararam em um posto para comprar gasolina. Segundo a polícia, no banco de trás do veículo, é levado o corpo da mãe da adolescente, que havia sido estrangulada pela filha três horas antes.
Depois de comprar combustível, os dois seguiram para um terreno, em Duque de Caxias, onde queimaram o corpo. A jovem será internada em uma instituição sócio-educativa.

A menor é suspeita de matar a própria mãe, Adriana Moura de Rocha Miranda, de 43 anos, na casa da família no Cachambi, no Subúrbio do Rio. Segundo a polícia, a garota é lutadora de muay thai e aplicou um golpe chamado "mata-leão" na mãe. O casal namorava há apenas quatro meses. O caso foi divulgado nesta quinta-feira (6).

De acordo com o delegado Antônio Ricardo Nunes, titular da 32ª DP (Taquara), a mãe não aprovava o relacionamento e os dois teriam interesse na quantia de R$ 15 mil de um seguro da vítima. O crime foi cometido na madrugada de sábado, dia 25 de maio.

“Ela é fria e calculista. Os dois confessaram o crime. Nós quebramos o sigilo telefônico e colocamos os dois na cena do crime. Eram provas que não tinham como ser contestadas, então, eles realmente confessaram o crime”, declarou o delegado em entrevista ao RJTV.

A menor foi apreendida na tarde de quarta-feira (5), junto com o namorado. Segundo os policiais, Daniel Duarte Peixoto, de 20 anos, estava na casa da jovem no momento do crime.

Morta com golpe de luta

A menina, que pratica muay thai, deu um golpe chamado mata-leão e enforcou a mãe dentro de casa. Às 4h do dia 25 de maio, ela abriu a porta da casa para que o namorado entrasse e ajudasse a retirar o corpo da casa.

A menor chegou a pedir dinheiro aos funcionários da Ourotáxi, onde a mãe trabalhava, para procurar o corpo da mãe no IML e em hospitais. Eles chegaram a dar R$ 60 à menina.

O delegado informou ainda que Daniel pode pegar de 20 a 30 anos de prisão. “Nós solicitamos que eles comparecessem ao terreno de Duque de Caxias e não temos dúvida que ela quem planejou e ela quem fez o que conhecemos como ‘mata-leão’”, afirmou Nunes.

A menor foi levada para o Degase e o rapaz para a Polinter. Ambos responderão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

O delegado quebrou o sigilo telefônico do casal, viu câmeras da secretaria de segurança e ouviu testemunhas. Ele confessou o crime na quarta-feira (5) de manhã e a menor no período da noite.
Na delegacia, Daniel negou o assassinato e disse que apenas ajudou a namorada a se desfazer do corpo. Ele também disse estar arrependido por sua participação no crime.  A menor confessou ao delegado que planejou e executou o crime sozinha e afirmou que o namorado a ajudou a levar o corpo.

Corpo queimado

Ainda segundo as investigações, depois que foi morta, os dois queimaram o corpo na própria casa e o abandonaram num terreno em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com o comentarista da TV Globo Rodrigo Pimentel, o legista constatou que a arcada dentária é mesmo da mãe da jovem. Ainda de acordo com Pimentel, a menor só pode ficar presa por três anos.

Na manhã de quinta (6), um parente da moça disse que desde que o relacionamento começou a menina mudou de comportamento. A família está inconformada com o crime. "A sensação é de muita tristeza. Estamos profundamente inconformados com o desfecho do caso. É triste concluir que a própria filha foi a autora", disse um parente, que preferiu não se identificar.

Amiga foi à delegacia

Fabiana Lopes era amiga de Adriana há 11 anos e esteve na delegacia na tarde desta quinta-feira (6) para cobrar explicações do casal. "Está tudo acabado. Ela [a menor] fez 17 anos agora no dia primeiro de junho. A gente sempre fazia festinha para ela. [Depois da morte da mãe], ela me ligou todos os dias. Ontem [quarta, (5)], ela me ligou 23h para dizer que tinham chamado ela na delegacia. Eu pedi que ela falasse a verdade".

Fabiana disse ainda que Adriana reprovava o namoro do casal. E que esteve com os dois um dia após o crime. "Estive com os dois dentro da casa. Abracei eles, beijei. Falei com eles que ia dar certo, que a gente ia achar a Adriana. Achei que ela [a menor] estava calma. Achei normal por ela ser adolescente, que poderia estar em estado de choque. Ela confessou para mim ontem à noite no telefone. Pedi que ela só falasse a verdade [para a polícia]."

O caso lembra um outro assassinato que aconteceu em São Paulo e chocou o país. Em 2002, Suzanne Von Richtoffen matou os pais com a ajuda do namorado e do irmão dele, Daniel e Christian Cravinhos. Cada um deles foi condenado a mais de 38 anos de prisão.

Rapaz conta como ajudou filha a queimar corpo de mãe no Rio

Um vídeo obtido pelo RJTV mostra um rapaz de 21 anos contando como ajudou sua namorada, uma menor de 17 anos, a queimar o corpo da própria mãe. O namorado conta que, de acordo com o que haviam planejado, a jovem mataria a vítima, depois a vestiria com a roupa do trabalho. Segundo o rapaz, foi a prórpia jovem quem acendeu o fósforo para queimar o corpo da mãe. O casal, segundo o depoimento, aguardou até que o corpo pegasse fogo antes de ir embora.



Imagens de câmeras de segurança também mostram o momento em que a jovem e o namorado pararam em um posto para comprar gasolina. Segundo a polícia, no banco de trás do veículo, é levado o corpo da mãe da adolescente, que havia sido estrangulada pela filha três horas antes.
Depois de comprar combustível, os dois seguiram para um terreno, em Duque de Caxias, onde queimaram o corpo. A jovem será internada em uma instituição sócio-educativa.

A menor é suspeita de matar a própria mãe, Adriana Moura de Rocha Miranda, de 43 anos, na casa da família no Cachambi, no Subúrbio do Rio. Segundo a polícia, a garota é lutadora de muay thai e aplicou um golpe chamado "mata-leão" na mãe. O casal namorava há apenas quatro meses. O caso foi divulgado nesta quinta-feira (6).

De acordo com o delegado Antônio Ricardo Nunes, titular da 32ª DP (Taquara), a mãe não aprovava o relacionamento e os dois teriam interesse na quantia de R$ 15 mil de um seguro da vítima. O crime foi cometido na madrugada de sábado, dia 25 de maio.

“Ela é fria e calculista. Os dois confessaram o crime. Nós quebramos o sigilo telefônico e colocamos os dois na cena do crime. Eram provas que não tinham como ser contestadas, então, eles realmente confessaram o crime”, declarou o delegado em entrevista ao RJTV.

A menor foi apreendida na tarde de quarta-feira (5), junto com o namorado. Segundo os policiais, Daniel Duarte Peixoto, de 20 anos, estava na casa da jovem no momento do crime.

Morta com golpe de luta

A menina, que pratica muay thai, deu um golpe chamado mata-leão e enforcou a mãe dentro de casa. Às 4h do dia 25 de maio, ela abriu a porta da casa para que o namorado entrasse e ajudasse a retirar o corpo da casa.

A menor chegou a pedir dinheiro aos funcionários da Ourotáxi, onde a mãe trabalhava, para procurar o corpo da mãe no IML e em hospitais. Eles chegaram a dar R$ 60 à menina.

O delegado informou ainda que Daniel pode pegar de 20 a 30 anos de prisão. “Nós solicitamos que eles comparecessem ao terreno de Duque de Caxias e não temos dúvida que ela quem planejou e ela quem fez o que conhecemos como ‘mata-leão’”, afirmou Nunes.

A menor foi levada para o Degase e o rapaz para a Polinter. Ambos responderão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

O delegado quebrou o sigilo telefônico do casal, viu câmeras da secretaria de segurança e ouviu testemunhas. Ele confessou o crime na quarta-feira (5) de manhã e a menor no período da noite.
Na delegacia, Daniel negou o assassinato e disse que apenas ajudou a namorada a se desfazer do corpo. Ele também disse estar arrependido por sua participação no crime.  A menor confessou ao delegado que planejou e executou o crime sozinha e afirmou que o namorado a ajudou a levar o corpo.

Corpo queimado

Ainda segundo as investigações, depois que foi morta, os dois queimaram o corpo na própria casa e o abandonaram num terreno em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com o comentarista da TV Globo Rodrigo Pimentel, o legista constatou que a arcada dentária é mesmo da mãe da jovem. Ainda de acordo com Pimentel, a menor só pode ficar presa por três anos.

Na manhã de quinta (6), um parente da moça disse que desde que o relacionamento começou a menina mudou de comportamento. A família está inconformada com o crime. "A sensação é de muita tristeza. Estamos profundamente inconformados com o desfecho do caso. É triste concluir que a própria filha foi a autora", disse um parente, que preferiu não se identificar.

Amiga foi à delegacia

Fabiana Lopes era amiga de Adriana há 11 anos e esteve na delegacia na tarde desta quinta-feira (6) para cobrar explicações do casal. "Está tudo acabado. Ela [a menor] fez 17 anos agora no dia primeiro de junho. A gente sempre fazia festinha para ela. [Depois da morte da mãe], ela me ligou todos os dias. Ontem [quarta, (5)], ela me ligou 23h para dizer que tinham chamado ela na delegacia. Eu pedi que ela falasse a verdade".

Fabiana disse ainda que Adriana reprovava o namoro do casal. E que esteve com os dois um dia após o crime. "Estive com os dois dentro da casa. Abracei eles, beijei. Falei com eles que ia dar certo, que a gente ia achar a Adriana. Achei que ela [a menor] estava calma. Achei normal por ela ser adolescente, que poderia estar em estado de choque. Ela confessou para mim ontem à noite no telefone. Pedi que ela só falasse a verdade [para a polícia]."

O caso lembra um outro assassinato que aconteceu em São Paulo e chocou o país. Em 2002, Suzanne Von Richtoffen matou os pais com a ajuda do namorado e do irmão dele, Daniel e Christian Cravinhos. Cada um deles foi condenado a mais de 38 anos de prisão.

terça-feira, 21 de maio de 2013

OKLAHOMA CITY, EUA - Um megatornado de mais de três quilômetros de diâmetro e ventos de até 320 km/h causou ao menos 91 mortes e deixou 145 feridos em sua passagem, nesta segunda-feira, pela localidade de Moore e pelos arredores de Oklahoma City, no Meio-Oeste americano. A tempestade destruiu casas, edifícios e a escola Plaza Towers, onde estavam 75 alunos e uma equipe de professores. Até o fim da noite, os corpos de pelo menos 20 crianças tinham sido resgatados dos escombros, e outros 24 alunos ainda estavam desaparecidos. 



Testemunhas disseram que o tornado desta segunda-feira, que tocou terra às 14h56m (hora local) e durou cerca de 40 minutos, foi de efeito ainda mais trágico do que o do gigante que devastou a região em maio de 1999 e matou 44 pessoas. Os danos foram tantos que algumas pessoas não conseguiam localizar suas próprias casas. As emissoras locais mostraram partes de casas destruídas, carros revirados e empilhados e pelo menos um prédio em chamas. Uma mulher morreu com o bebê nos braços ao tentar abrigar-se dentro de um freezer.

Nas escolas locais, professores usaram os próprios corpos para proteger os alunos. E o segundo andar de um hospital local foi destruído, mas não houve feridos. Pelo menos 200 pessoas ficaram feridas e outras centenas estão desabrigadas.

- Nunca vi nada parecido com isso em meus 18 anos cobrindo tornados aqui em Oklahoma City. Este é sem dúvida o mais horrível - disse o repórter Lance Oeste, da rede de TV KFOR.
 
Lando Hite, um sobrevivente, descreveu a cena de terror à TV KFOR:
- Havia cavalos e coisas voando por todos os lugares.

Os relatos descrevem a ação de um fenômeno que, segundo meteorologistas, alcançou nível 4 na escala Fujita, cujo máximo é 5.

- Parece que nosso pior medo materializou-se hoje - disse o meteorologista Bill Bunting.

Mais tempestades por vir

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou como grande desastre os tornados mortais que atingiram o estado de Oklahoma no domingo e nesta segunda-feira. Ele ordenou ajuda federal para complementar os esforços de recuperação estaduais e municipais, informou a Casa Branca.
A Casa Branca disse que a ajuda pode incluir subsídios para habitação temporária, reparos domésticos, as perdas de propriedade sem seguro e outros esforços de recuperação.
Obama falou por telefone com o governador de Oklahoma Mary Fallin cedo na segunda-feira, disse a Casa Branca.

Obama ordenou o envio de uma equipe da agência federal de atenção em caso de emergências (FEMA, na sigla em inglês) ao local da tragédia, e prometeu que prestará todo o auxílio necessário a Oklahoma. A governadora do estado, Mary Fallin, declarou estado de calamidade em 16 condados.
A temporada de tornados nos Estados Unidos estava relativamente tranquila até a semana passada, quando um deles atingiu Granbury, no Texas, matando seis pessoas. No domingo, tempestades mataram duas pessoas e feriram ao menos 39 em Oklahoma. Nesta segunda-feira, o estrago foi ainda maior, com o alcance do tornado em áreas povoadas. As operações de resgate entraram pela madrugada. Ao menos dez estados na parte central dos Estados Unidos estão sob ameaça de tornados.
- O número de vítimas ainda deve aumentar - alertou Amy Elliot, chefe administrativa do Instituto Médico Legal de Oklahoma.

Brynn Kerr, do Serviço Nacional de Meteorologia, disse que um alerta de tornado foi emitido para dois condados na região central de Oklahoma, com recomendação aos moradores para que buscassem abrigo imediatamente.

A região de maior risco inclui Joplin, no Missouri, que amanhã marca os dois anos de um violento tornado que matou 161 pessoas. Vários outros estados também registraram esse tipo de fenômeno. O Serviço Nacional de Meteorologia previu pelo menos 10% de chances de tornado em partes de Texas, Oklahoma, Arkansas, Kansas, Missouri e Illinois.

A chance cai pela metade em áreas de quatro outros estados: Wisconsin, Indiana, Michigan e Iowa. Cerca de 50 tornados foram registrados nesses estados nos últimos dois dias, com Oklahoma e Kansas sendo os mais afetados. Entretanto, alguns desses registros podem ter sido do mesmo fenômeno.

Segundo um porta-voz da Cruz Vermelha, ao menos 300 casas foram danificadas ou destruídas. A polícia também espera mais desastres.

- As pessoas estão aprisionadas (nos escombros); vamos ver mais destruições nos dias por vir - disse uma porta-voz da polícia rodoviária de Oklahoma, sem informar quantas pessoas ficaram presas.


© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. | gospelchannel@globomail.com
tornado

Tornado de mais de 3 Km deixa dezenas de mortos em Oklahoma

Samuel Rodrigues  |  at  15:03

OKLAHOMA CITY, EUA - Um megatornado de mais de três quilômetros de diâmetro e ventos de até 320 km/h causou ao menos 91 mortes e deixou 145 feridos em sua passagem, nesta segunda-feira, pela localidade de Moore e pelos arredores de Oklahoma City, no Meio-Oeste americano. A tempestade destruiu casas, edifícios e a escola Plaza Towers, onde estavam 75 alunos e uma equipe de professores. Até o fim da noite, os corpos de pelo menos 20 crianças tinham sido resgatados dos escombros, e outros 24 alunos ainda estavam desaparecidos. 



Testemunhas disseram que o tornado desta segunda-feira, que tocou terra às 14h56m (hora local) e durou cerca de 40 minutos, foi de efeito ainda mais trágico do que o do gigante que devastou a região em maio de 1999 e matou 44 pessoas. Os danos foram tantos que algumas pessoas não conseguiam localizar suas próprias casas. As emissoras locais mostraram partes de casas destruídas, carros revirados e empilhados e pelo menos um prédio em chamas. Uma mulher morreu com o bebê nos braços ao tentar abrigar-se dentro de um freezer.

Nas escolas locais, professores usaram os próprios corpos para proteger os alunos. E o segundo andar de um hospital local foi destruído, mas não houve feridos. Pelo menos 200 pessoas ficaram feridas e outras centenas estão desabrigadas.

- Nunca vi nada parecido com isso em meus 18 anos cobrindo tornados aqui em Oklahoma City. Este é sem dúvida o mais horrível - disse o repórter Lance Oeste, da rede de TV KFOR.
 
Lando Hite, um sobrevivente, descreveu a cena de terror à TV KFOR:
- Havia cavalos e coisas voando por todos os lugares.

Os relatos descrevem a ação de um fenômeno que, segundo meteorologistas, alcançou nível 4 na escala Fujita, cujo máximo é 5.

- Parece que nosso pior medo materializou-se hoje - disse o meteorologista Bill Bunting.

Mais tempestades por vir

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou como grande desastre os tornados mortais que atingiram o estado de Oklahoma no domingo e nesta segunda-feira. Ele ordenou ajuda federal para complementar os esforços de recuperação estaduais e municipais, informou a Casa Branca.
A Casa Branca disse que a ajuda pode incluir subsídios para habitação temporária, reparos domésticos, as perdas de propriedade sem seguro e outros esforços de recuperação.
Obama falou por telefone com o governador de Oklahoma Mary Fallin cedo na segunda-feira, disse a Casa Branca.

Obama ordenou o envio de uma equipe da agência federal de atenção em caso de emergências (FEMA, na sigla em inglês) ao local da tragédia, e prometeu que prestará todo o auxílio necessário a Oklahoma. A governadora do estado, Mary Fallin, declarou estado de calamidade em 16 condados.
A temporada de tornados nos Estados Unidos estava relativamente tranquila até a semana passada, quando um deles atingiu Granbury, no Texas, matando seis pessoas. No domingo, tempestades mataram duas pessoas e feriram ao menos 39 em Oklahoma. Nesta segunda-feira, o estrago foi ainda maior, com o alcance do tornado em áreas povoadas. As operações de resgate entraram pela madrugada. Ao menos dez estados na parte central dos Estados Unidos estão sob ameaça de tornados.
- O número de vítimas ainda deve aumentar - alertou Amy Elliot, chefe administrativa do Instituto Médico Legal de Oklahoma.

Brynn Kerr, do Serviço Nacional de Meteorologia, disse que um alerta de tornado foi emitido para dois condados na região central de Oklahoma, com recomendação aos moradores para que buscassem abrigo imediatamente.

A região de maior risco inclui Joplin, no Missouri, que amanhã marca os dois anos de um violento tornado que matou 161 pessoas. Vários outros estados também registraram esse tipo de fenômeno. O Serviço Nacional de Meteorologia previu pelo menos 10% de chances de tornado em partes de Texas, Oklahoma, Arkansas, Kansas, Missouri e Illinois.

A chance cai pela metade em áreas de quatro outros estados: Wisconsin, Indiana, Michigan e Iowa. Cerca de 50 tornados foram registrados nesses estados nos últimos dois dias, com Oklahoma e Kansas sendo os mais afetados. Entretanto, alguns desses registros podem ter sido do mesmo fenômeno.

Segundo um porta-voz da Cruz Vermelha, ao menos 300 casas foram danificadas ou destruídas. A polícia também espera mais desastres.

- As pessoas estão aprisionadas (nos escombros); vamos ver mais destruições nos dias por vir - disse uma porta-voz da polícia rodoviária de Oklahoma, sem informar quantas pessoas ficaram presas.


© 1996 - 2013. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. 
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. | gospelchannel@globomail.com

Recentes...

© 2008-2014 SMK Company | Arrebatamento News. WP Mythemeshop Converted by Bloggertheme9
Blogger Template. Powered by Blogger.